image

UFMG terá novo forno para a síntese de grafeno

O Centro de Tecnologia em Nanotubos de Carbono (CTNanotubos) da UFMG ganhará um novo forno de CVD (Chemical Vapor Deposition), que permitirá ampliar a capacidade de produção de grafeno – uma das formas cristalinas do carbono, assim como o grafite e o diamante – em dez vezes a partir de abril.

O forno é um equipamento que propicia o “crescimento” de grafeno em substratos (camadas) de metal, utilizando um gás com carbono, como o metano. O CTNanotubos é o primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento de grafeno e nanotubos de carbono do país.

A professora Glaura Goulart Silva, coordenadora executiva do CTNanotubos, explicou que o grafeno obtido por meio do forno de CVD é aplicado em sensores (de gases tóxicos, de pressão e de temperatura) e em displays (smartphones, TVs, computadores). O novo forno possibilitará a produção de grafeno com melhor qualidade estrutural. Segundo a especialista, o grafeno já estava sendo sintetizado em escala de pesquisa, mas “agora a escala vai aumentar para produção pré-industrial”.

O equipamento, com financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), custou cerca de R$ 800 mil e é composto por um forno principal e módulos de controle de vácuo, entrada e pressão de gases e temperatura.

Fonte: http://www.otempo.com.br/interessa/ufmg-ter%C3%A1-novo-forno-para-a-s%C3%ADntese-de-grafeno-1.1256227

Os comentários estão fechados para essa mídia.

Pesquisar

Facebook